Total de visualizações de página

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Se Gabriela...

por certo, é bela!...


Cheiro de cravo,
Pele cor de canela,
Sempre asperge beleza
Por onde passa:
Quer na roça ou no vilarejo,
Quer nas vielas, ruas ou calçadas...
Quer nas bodegas, butecos,
Biroscas ou bares...

Nas praias...
Quando faceira desfila
A caminhar
Sob os olhares indecorosos
Daqueles que foram
Por ela fascinados,
É só encantamento!...

Ah, meu camarada!
Quando, na tina,
Gabriela se banha nua,
Não há quem contenha
A desvairada paixão
Que por ela aflora!...

Isto, não sou eu quem o diz,
Mas sim... aquele tal do Jorge,
Amado escritor brasileiro,
Que ninguém,
Se bom da cabeça,
Ousa contradizê-lo!...


Montes Claro (MG), 19-06-2012
RELMendes

terça-feira, 12 de junho de 2012

Não se vá pra Biribiri...

        (Bochicho poético entre mim

          e a poeta Maria Telles)
-Veja só!
Num suspiro profundo
Desnuda-se a alma da gentil poetiza,
Que logo se expôs abusada
A nos revelar seu oculto desejo
Com um desabafo eloquente:

-Ah! Tenham por certo que
Vou-me embora pra Biribiri!
Nem que por isso pagar
Com lágrimas o preço... tenha,
Vez que meu grande desejo
É só correr atrás de lindos sonhos,
Ainda que possíveis devaneios...

-Por ser muito enxerido...ó gentil poetiza,
Vou dar-te um abusado palpite:
Não se vá pra Biribiri...
Sem antes muito refletir!
A não ser que queiras te arriscar
A sofrer de muitas
Dolorosas ausências...

-Ah! Não há porque duvidar!
Vou me embora pra Biribiri
Pois lá terei poéticas inspirações,
Alimentar-me-ei de sublimes devaneios
E por decerto tecerei muitos versos
A beira de um lindo riacho
De orvalho fresco

-Ora! Por ser eu muito metidiço
Ó gentil poetiza,
Vou dar-te, com eloquente certeza,
Um ousado e sábio alerta:
Não se vá pra Biribiri
Sem antes muito refletir!

-Pois...pra se ir embora pra Biribiri,
Tem-se que se desvencilhar
De um tantão de coisas:
-Do nicho aconchegante,
-Das tralhas amontoadas
Pelos cantos,
-Das noites barulhentas
Que escondem o silêncio
-Dos “ belos dizeres
De tantas vozes carinhosas”,
-Dos vestidos enxovalhados
Que...ao corpo,
Tão bem se ajustam,
-Das ternas lembranças
Que como flores
Foram colhidas
Com o passar do tempo
Pelo caminho...

-Enfim...se pra se partir
Pra Biribiri
De quase tudo
Abrir mão é preciso
Parece-me muito caro
O preço então cobrado...ora!

-Ah! Mas...não há nada no mundo
Que a mim possa deter-me
De ir pra Biribiri... ora!
Vez que a estrada
Que pra lá me conduz
É de pertença só minha
E o desejo de evadir-me pra lá
Tornou-se para mim...mania!

Bom! Se assim é
Pois então que se vá!
Eu entretanto
Ficarei por aqui
Chupando araticum
E roendo pequi
Ansioso a te esperar... ara!

Montes Claros (MG), 08-06-2012
RELMendes

terça-feira, 5 de junho de 2012

No meu jardim flor tem nome de mulher!...



Ó valha-me Deus
Valha-me Nosso Senhor!...

Ah! Não te assuleres tanto!
Se o jardim é meu...
Dou às flores o nome
Que eu bem quiser!...
  
Na eternidade...
Conto com santas mulheres:
- Maria, a Theotokos...
que como filho me adotou,
- Rita, que...nas aflições,
sempre me socorreu...
- Lindalva...a beata mártir nordestina,
Que pela coragem me fascina...
- Alexandrina e Zeneida,
Que no colo me embalaram
E...com muito carinho,
Nele me acalentaram...

Ó valha-me Deus,
Valha-me Nosso Senhor!...

Ah, não te assuleres tanto!
Se o jardim é meu...
Dou às flores o nome
Que eu bem quiser!...

Em minha desvairada juventude,
Outras belas mulheres se instalaram
No meu vadio e inconstante peito:
Claro, cada uma a seu modo...
Cada uma do seu jeito!...

- Lúcia, Mariá e Camila
Foram três paixões...inflamadas,
Três paixões...desordenadas,
Mas todas...tenham por certo,
Valeram à pena
 E foram intensamente vividas!...

- Zélia, Vanda e Ita
Fizeram-se robustos suportes
De minha suposta fortaleza...
Porque me acolheram
Com ternura bondade
E singular firmeza...
Bem como me ensinaram que:
“Quando se cai...          
A gente levanta
Sacode a poeira
E dá a volta por cima”...
Pois a vida é um dom a ser vivido,
E viver é bom demais da conta!

Ó valha-me Deus,
Valha-me Nosso Senhor!...

Ah, não te assuleres tanto!
Se o jardim é meu...
Dou às flores o nome
Que eu bem quiser!...
  
Já na varanda de minha velhice...
- Angélica, Tânia Raquel, Dena,
- Letícia, Lígia, Liege e Maria Luiza...
Todas essas belas flores-mulher
Muito me inspiraram...
Pra que eu pudesse bordar
Versos...
Cheinhos de gentileza...
E de belezura repletos!...

Ó valha-me Deus,
Valha-me Nosso Senhor!...

Pronto! Bem que eu te disse:
Não te assuleres tanto...
Pois sendo meu o jardim,
Dei às flores o nome
Que eu bem entendi!

Montes Claros(MG), 31-05-2011
RELMendes