Total de visualizações de página

domingo, 30 de junho de 2013

Confronto!




Eu sei o que dizer...
Mas não querem ouvir,
Não querem crescer,
Não querem pensar,
Não querem ser!
Pronto, falei!

Por que iniciar uma cavalgada
Por onde já trilhei?
Não seria mais fácil
Partir de onde me encontro
Para o infinito desconhecido?
Por que antecipar o que ainda virá?
Por que apressar o ainda feto?
Pronto, falei!

Se eu sei o que dizer...   
É bom que lhes diga:
O início é sempre agora,
O futuro é o presente seguinte,
A alegria duradora
É apenas um instante,
A tristeza permanente
É semente da saudade
Que, ao germinar,
Dá fruto amargo!
Pronto, falei!

Bom é caminhar...
E caminhando seguir:
Para chegar,
Para usufruir,
Para viver,
Para ser,
Para não morrer!
Pronto, falei!

Montes Claros (MG), 18-11-1981
RELMendes


sexta-feira, 28 de junho de 2013

Um saveiro de versos








Singra sereno...
O saveiro de meus versos,
(nas águas caudalosas das lembranças... )
Sob o impulso da esperança,
E do forte desejo...
De que não soçobre jamais
Na vereda de meus sonhos...

Ah! Deixa que o saveiro de meus versos
Percorra o trajeto de corações curiosos,
E que depois, bólido,
Parta em busca de outros corações
Que a vigiarem ansiosos o horizonte,
Ávidos, o esperam!...  

Deixa que o saveiro de meus versos
Resvale em qualquer lugar
Pra saciar e ungir...
Com melódicas estrofes poéticas
Àqueles que desejam
Por elas se besuntar por inteiro.. .

Por fim,
Deixa que o saveiro de meus versos
( a velejar, lentamente, num mar de ternura)
Atraque lá nos campos de “Capim Dourado”
Do “Jalapão do Tocantins”,
Onde repousam minhas recordações...
E uma saudade sem fim!...


Montes Claros (MG), 08-08-2011
RELMendes