Total de visualizações de página

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Seres asilados é uma descompaixão absurda


Silêncios /gritantes /aos uivos/
Perturbam-lhes/ sem cessar/
Os seus dia a dia/totalmente/ vazios/
Sem lampejo algum de esperança real!

-Ausências /magoadoras/à beça/
Uivam-lhes/ n’alma carente/
Transbordantes de porquês/
Sem respostas algumas!

-Solidão /impertinente/pacas/
Cavalga-lhes o coração /choroso/
Sem sequer se dar conta de suas dores/
Doloridíssimas/ aos suplícios!

,-Melancolia /constante/sem pundonores/
Entedeia-lhes/ sem dó/ o cotidiano/estagnado/
Desconsiderando os sonhos que têm/ aos borbotões!

-Descompaixão/ irredutivelmente/escrota/
Cerceia-lhes o sonhar /dias alvissareiros/
Em que pudessem partilhar ternura/à beça/
Torna-lhes também/ hirtos/ face o pra quê tecer quimeras/
Se não têm/deveras/ como compartilhá-las/aos montes/
Com quem os deveria querer bem/ ou amá-los/muito!

-Aparte isso/saibam/ seus asiladores/ desalmados/
Que/eles/ o asilados/ sentem-se/totalmente/ nascidos/
-Desde que deram seus primeiros berros no proscênio da vida–
Para o imensurável espantamento do mundo/belíssimo/
Feito de convivências /carícias/ e partilha de amores/ sem fim!


RELMendes  18/01/2018

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Amo degustar futuros antecipados




Pois enquanto/manhosamente/ minha amada/
Perde-se/ apenas/ em deliciar/presentes/ tão-somente/
- Degustando demoradas caricias/ inenarráveis/ -
Eu / há/ jamais! Muito pelo contrário!
Quando amo/ viajo/ futuros/além!
E para tanto/ rapidamente/ o quanto /antes/
Desgasto meus presentes /todos/
- Aninhando-me /totalmente/ em seus doces afagos -
E aí/ então/ voo/ em deliciosos sonhos/ a por vir/
Ah/ Sonhos/ sonhos! Todos/ verdadeiramente/polvilhados/
De uma ternura sem fim!

RELMendes 20/09/2017

Ficar a troco de quê... Se é Primavera?!





-Despi-me/ então/ rapidinho/da  frequente arrogância/
E revesti –me/completamente/ de envolvente ternura/
Só pra correr atrás dos meus lindos/ sonhos/...
Porque/ simplesmente/ é Primavera!

-Ao invés/portanto/de eu querer ensinar/ qualquer coisa/
A quem quer que fosse / enfim/
Dispus-me a ser/ então/apenas um total aprendiz/
- Na arte do bem conviver -
Só pra correr atrás de meus ardentes /sonhos/
Porque / simplesmente/ é Primavera!

-Lancei fora/ imediatamente/ o medo de evadir-me...
E desvencilhei-me/ totalmente/ de tralhas /inúteis/
Só pra perseguir  meus/ tão acreditados/ sonhos/...
Porque  /simplesmente/ é Primavera!

-Sem pestanejar /sequer/ então/
Passei a mão /na minha cachorrinha/
- E em quem mais quis vir comigo -
E sai em busca de novos amigos/
De uma boa prosa/ e/ sobretudo/
De um colo acolhedor/
Bem como/ também/de um tão anelado aconchego/
De há muito/ tão sobremaneira /esperado/
Porque/simplesmente/ é Primavera!

-Mas/ ah/ é preciso ficar /atento/
Pois quem ousa mudar o percurso /do destino/
-  sobretudo em sendo Primavera -
Também/verdadeiramente/ ousa correr
O esplendido risco /de ser feliz...a qualquer momento!

Por isso, depois de navegar /por anos/ em mares turbulentos/
Resolvi atracar/ definitivamente/meu barco/
- Cheinho de inenarráveis/ sonhos/ -
Num porto quase encantado/ porquanto
Porto/ desvestido de frívolas /aparências/
E repleto de abundantes mistérios...
Que vão/ aos poucos/ se revelando/
No cronos/ dos já antigos posseiros...desse encantado porto/
E não/ no tempo/ dos recém-chegados forasteiros!...

- Enfim/ se nesse porto imaginário/ quase encantado/
Pudermos contemplar estrelas /reluzentes/
E o luar prateado/de lá/ nos iluminar /contente/
E a vida/  por ali/nos permitir viver...
Toda sorte de ingênuas /estripulias/
Então lá/ fincaremos as estacas...
De nossa acolhedora /tenda!...
Porque/ simplesmente/ é Primavera!

Montes Claros, 22-04-2012
RELMendes

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Segredos/ por que os devo guardar a sete chaves?


Se alguém /por acaso/ me pedisse
Um bom conselho/ hoje/ eu /simplesmente/
Dir-lhe-ia sem hesitar /um só momento/ sequer:
- Não te assegredes com ninguém /jamais/
Senão/apenas/ com aquele / o Deus Vivo/
Que / desde sempre/ te conhece e te ama
Tal qual  és/ em tua verdadeira essência/
Mesmo porque/ foi ELE/ e tão-somente/ ELE/
Quem te teceu/ por amor/ no útero materno!

E / portanto/só cabe a ELE/ e unicamente/ a ELE/
Perscrutar os segredos de tua alma/ abismada ou plangente/
Pois/ tenhas por certo que/ somente ELE/
E tão-somente /ELE/ nunca revelará / a ninguém/ jamais/
Tuas fragilidades/ tão humanas/ mas tão tuas/ tão-somente!

RELMendes 19/09/ 2017


domingo, 17 de setembro de 2017

Um Arcanjo Escritor/ por encanto/ Passou por Montes Claros/ rapidamente!

                                     (In memória)


-Não é /nem será/ jamais/ sandice/ afirmar:
- Quem calaceou ou calaceava /desavisado/
Pelo Corredor Cultural /de Montes Claros/
- lá no fundo da sua bela igreja Matriz -
Corria ou correu/verdadeiramente/ o feliz/ risco/
De por lá/defrontar-se/cara a cara/inesperadamente/
Com um terno Arcanjo Escritor - que/ por encanto/
Passou /por nossa bela cidade/ rapidamente -
Cujo nome era:- Raphael Reys!...

-Esse terno /Escritor Arcanjo/ Raphael/ montes-clarense/
Sempre estava/ por ali /a cumprimentar / a todos/
- Os viandantes/ que/ por ali perambulavam/
Só por perambular/ou vadiar/ tão-somente/ -
Com generosa  gentileza /e candura/ aos flocos/
E a esbanjar/ sem economia/alguma/
- Pra quem quer que fosse/ sem exceção/ alguma -
Discretos sorrisos /acolhedores/ de inenarrável ternura/
Sem hesitar jamais/ em trocar /também /umas palavrinhas/doces/
Com quem quer que /por ali se encontrasse/ a vadiar/
Ou a se aculturar / tão-somente/-  quando apenas peregrino -/
Afim de que qualquer viandante/ quer da região/
Ou simplesmente/ de alhures/ desejasse/sobremaneira/
Retornar/ por ali ou por aqui// novamente/ sem hesitar... Jamais.

-Depois de orvalhar de ternura/ aquele ambiente/ inteirinho/
Ele/ o terno Escritor Arcanjo/ Raphael/ montes-clarense/se esvaia/
Sutil e sorrateimente/ sabe-se lá /pra onde/ nem pra quê/
Quiça/ para se reabastecer /de divinal inspiração...
E depois/ no dia seguinte/ compartilhá-la /prazerosamente/ conosco/
- seus amigos de há tempos/ pra felicidade nossa/ graças a Deus/ -
E com todos os demais que /ansiosamente/ esperavam o seu retorno
A cada novo alvorecer/ para degustá-la em forma de interessantíssimas
Crônicas/ sempre muito inteligentes e/ sobretudo/ muito gostosas/
 De se ler e reler/ por incontáveis vezes!

Montes Claros (MG), 20-01-2013
RELMendes

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

O Amor não tem hora pra chegar!


-Psiu... Silêncio!...
É preciso ficar atento....
Pois qualquer coisa me diz
Que o Amor está batendo
- Bem levemente... -
À porta do meu coração... Carente!

- Então vou escancará-la.../imediatamente/
Pois/ bem sei que porta /de coração/
É a única porta que só se abre /por dentro.

-E em assim sendo/ não hesitarei...jamais,
Em manter a minha porta quase sempre /aberta/
Vez que necessito muito de Amor
Pra manter acesa essa lareira /estrambelhada/
Que em meu peito pulsa ... Incandescente.

-Porque senão..ah/.num pisar de olhos,
O Amor escapa.../avexado/
E vai se aconchegar lá no peito /acolhedor/
De algum vizinho /safado/... Ôxe!

Montes Claros (MG), 07-09-2016
RELMendes


terça-feira, 29 de agosto de 2017

Assim amanheceu-se meu pé de manjericão


Ah meu manjericão/ meu belo pé de manjericão!!
Tua florada mimosa perfuma/ tudo/
Mas/ sobretudo/ perfuma as varandinhas
De minhas vivendas/ todas/
Pois cá dentro de mim/ neste agora/
Até meu coração escancarou-se/ totalmente/
 Só para acolher teu suavíssimo /aroma/
Que a tudo//por aqui/ discretamente/ perfuma/
Sem avareza alguma/ sequer!!


Rel Mendes 29/08/2017

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Minha revelação de hoje


Só almejo / nesse exato agora/
- De todo o meu coração/mesmo/ -
Que o hálito /da brisa de DEUS/ sopre/
Sem cessar/ sempre/ nas velas
Do barquinho de minha vida
Pra que ele não se desvie/ jamais/
Da rota do Amor/ da Serenidade
E /sobretudo da Paz!


Relmendes 15/07/2017

sábado, 12 de agosto de 2017

A propósito da presença do Pai


-PAI / logo ao nascermos/por uns instantes/
Você nos é um simples desconhecido/tão-somente/
Ah! Mas depois do seu primeiro olhar/terno/pra nós/
Do seu primeiro afago/ gostoso/em nós/
- Por vezes às escondidas –
Do seu primeiro suspiro paternal/ profundo/ a nossos ouvidos/
De felicidade / plena/ a transbordar-se de contentamento/
- Simplesmente por causa de nós termos nascido/ enfim -
Não há/ portanto/ como se negar / de jeito algum/ sequer/
Que por detrás do tal bicho papão/ assustador/
Há/ sobretudo/ para nós seus filhos/ um ser humano/ impar/
- Quiçá/ um herói desconhecido/ para os outros/ não pra nós -
Capaz de nos amar sem limites/ de nos acolher em quaisquer
 Circunstâncias/ sejam elas qual forerem/ pouco lhe importa/
De caminhar conosco/ em qualquer situação que for/
De dar sua própria vida por nós/ sem hesitar/ de forma alguma/
E/ também/ de dizer-nos /não/ quando preciso for/sem titubear/
- Ainda que isto lhe parta/ profundamente/ o coração paterno -
Para que nós/ seus filhos e filhas/ sobrevivamos
A quaisquer percalços que /por desventura/ou ventura/
Aflijam-nos ou alegrem-nos/ sobremaneira/ pelo percurso /
Curto ou longo /de nossas vidas tão polvilhadas/
 Por toda sorte de incontáveis/ surpresas!...

-PAI / sou grato a Deus/ por me ter dado/ a você/ como seu filho.Viu?
Pois apesar de nossos muitos entreveros/ tivemos a oportunidade/impar/
De trocarmos abraços/ acochados/ beijos faciais/ ternos/ e era tão
Bom poder dizer/ aos outros/ - sendo eu já quase idoso -
 Só para enchê-los de inveja:
- Gente... Hoje tô indo passar uns dias com papai!

-PAI/ não obstante eu ter tido de comer aqueles benditos bolos/ Luís XV
  - que você/ tão carinhosamente/ sempre os fazia para mim -  assim que eu chegava em sua casa... Só porque / ingenuamente/ você pensava que eu os achava /deliciosos/... Meu Deus/ que sufoco!
Mesmo assim/ valeu muito a pena/ eu ser seu filho!!  
Viu/ meu velho / amado? Obrigado por tudo/ meu Pai!

RELMendes 13/ 08/2017


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Às vezes o Amor bate asas e voa



Quando amor bate asas e vai-se embora/
É porque ele não quer mais morar na gente.
Então o melhor é deixá-lo alçar vôo /
Sem constrangimento...

Pois quem sabe não seja hora de outro Amor
Vir aconchegar-se/ na gente/ com aquele ar
De quem veio pra ficar/ bastante/ tempo?

Relmendes  07/08/2017


sábado, 5 de agosto de 2017

Ah quem dera fosse eu um passarinho!



Se deveras fosse eu um passarinho/
Não hesitaria/ jamais/ em pousar/
Logo ao despontar da aurora/
Bem pertinho de tua janela/
Só pra te amanhecer ao som
Do meu gorjeio/ apaixonado/
Ah quem dera! Ah quem dera!


RELMendes 30/07/2017

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Resquícios


-Hoje/ o Amor perambulou
Por aí afora... Comigo!
O aroma do seu perfume/
Posso eu aspira-lo/
Ainda... Agora!

-E porquanto/ quiçá/
Minh’alma / risonha:
- Ora bordada de alegrias/
- Ora apenas de sonhos/
Por aqui... Inebriada
De contentamento/
Transborda-se em
Ah quem dera’s...
Ao vislumbrar
Seus resquícios...
Ainda... Agora!

RELMendes 23/11/2016

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Indecisão se cura com sabedoria


Quem não sabe se vai /ou se fica/
O melhor /mesmo/ é empacar/
Onde se encontra/ por instantes/
- Que nem faz jegue brabo/ assustado/ -
Até a borrasca da indecisão se amainar/
E depois/ Ah/ depois é só fixar bem /os olhos d’alma/
No horizonte/ sem fim/ do seu por dentro/
E a pés em chão/ sem pestanejar/ sequer/
Pôr-se a correr / Desembestadamente/
Atrás da felicidade que /certamente/ o aguarda/
 Em algum lugar/ de seu universo interior/ atribulado/
E quem sabe até/ ela/ a felicidade/ não esteja
Bem aí/ a seu lado/ hein?

RELMendes 30/07/2017




quinta-feira, 27 de julho de 2017

Quem desrespeita /os outros/ não terá um coração lindo/ jamais!


-Minha descrença/ na crença dos outros/
Não me habilita/ em hipótese alguma/ para
Desrespeitar a quem que seja/ por suas
Convicções religiosas ou outras quaisquer/
Ainda que essas divirjam/ totalmente/ das minhas/
Ou não coadunem/ em nada/ com meus pensares/
Nem tampouco com meu jeito de ser e de viver.

-Ah!  Para se viver bem / penso eu cá comigo/
Precisa-se respeitar /as diferenças que permeiam/
Quer se queira ou não/ o cotidiano de todos nós.
Pois elas/ as diferenças de cada um/ sempre tecem
Os belos desenhos do incrível caleidoscópio da Vida... Ora!!

-Portanto/definitivamente/ quem desrespeita/ os outros/
Não é uma pessoa chique/ nem tampouco tem /ou terá
Um coração lindo... Jamais!

RELMendes 26/06/2017


domingo, 23 de julho de 2017

À noite meus olhos vagueiam sempre



-Da janela frontal da varanda/
Meus olhos vagueiam /ao infinito/
Não sei bem eu em busca de quê/
Nem o porquê / tampouco/ eu sei!

-Quiçá/eles estejam por lá/ à espreita/
Só pra contemplarem/ tão-somente/
As estrelinhas a brincar/ de pega/ pega/
Na escuridão da noite em breu/ e nada mais!


RELMendes 22/02/2017

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Liberdade é minha doce sina


-Não me dou ao desfrute de ancorar-me/ em nenhum cais/ jamais/
Vez que sou/ jangada/ que muito apraz-se/ em velejar /mar adentro/ Rumo a águas profundas/ ao sopro das brisas/ e ao assoviar dos ventos/ Fortes/ que a impulsionam/ ao desconhecido/ que anela/ desbravar...
-Ave de arribação/ abomino quem/ faminto/ofusca-me/ à noite/
Pois sou apenas peregrino/ em migração/ rumo à procriação...
-Bacurau que sou/ primo na camuflagem/ pra impedir /a invasão/
Do meu sagrado/ que/ em mim/ preza/ sobremaneira/ a Vida/ nascida/
Em momentos/ plenos/ de total LIBERDADE.

RELMendes 01/06/2017